28 de ago de 2009

Lançamento de livro 2.0

Leio no Webinsider um texto do Fernand Alphen sobre a ousada estratégia de uma editora francesa. A ideia é lançar livros usando os blogs e a circulação da informação a favor do negócio.

Fora os suspeitos habituais independentes de que tanto comentamos aqui, não há no horizonte das gravadoras algo semelhante.

Vejam:

* * *

Quando o livro ainda está manuscrito, a editora envia uma cópia, digitalmente é claro, para cerca de 200 leitores que se interessam pelo tipo de literatura em questão. Até aí, nada de novo: as editoras sempre fizeram esse tipo de teste.

Mas o que é diferente é que esses leitores estão devidamente conectados com seus próprios blogs e redes. A turma do sem-blog não serve, assim como não interessa quem só escreva em veículos especializados dead tree society.

A segunda novidade é que essas pessoas estão autorizados a divulgar criticas e o que quiserem do livro para seus leitores, mesmo que seja para destruir a obra ou xupinhá-la. Já sacaram que censura, jabá cozinhado e controle de pirataria é feitiço contra o feiticeiro.

Tudo isso acontece muitos meses antes do lançamento. Depois de um tempo, a editora analisa as repercussões, dos blogueiros e da audiência. Isso irá pautar o tipo de lançamento, o investimento na divulgação, e, claro, a tiragem do livro.

* * *

Vocês podem ler o artigo inteiro aqui.

Um comentário:

  1. Acho super bacana essa proposta de lançar um livro Beta, que vai ser criticado e aperfeiçoado pelos leitores - que depois terão um texto mais bacana, preciso e informativo.

    O "manuscrito" do meu Manual de Sobrevivência no Mundo Digital vai virar e-book gratuito na rede para ser discutido e reescrito com a ajuda de todos que têm algo a dizer sobre o assunto. Ou até sobre outros assuntos relacionados.

    Aguardem para muito breve.

    ResponderExcluir